e todos comem no mesmo prato

2junho, 2010

“Olha aqui o delegado que queria me prender!”, exclamou José Dirceu ao ser abordado pelo delegado Protógenes Queiroz no jantar de aniversário do ministro Orlando Silva, do Esporte, anteontem, em SP. Os dois gargalharam, apertaram as mãos e se juntaram num abraço aparentemente fraterno.
Candidato a deputado federal pelo PC do B, o policial circulava na festa tentando se aproximar dos que outrora investigou na Operação Satiagraha, em 2008, cujo alvo principal era o banqueiro Daniel Dantas. A conversa com Dirceu (que teve sua mulher, Evanise, grampeada na devassa comandada por Protógenes) não durou muito tempo.
“Me comportei bem?”, perguntou o petista depois que o delegado se afastou. Para espanto de muitos, entre uma garfada e outra de penne com tomate, disse: “Eu vou ajudar a elegê-lo”.
O “perdão” para valer, no entanto, virá depois, “no dia em que ele [Protógenes] me contar tudo o que aconteceu”. Dirceu diz acreditar que foi investigado de forma ilegal e muito mais abrangente do que a divulgada oficialmente.
Fábio Luís, o Lulinha, filho de Lula, que na época da Satiagraha surgiu no noticiário porque empresas de Dantas teriam tentado se aproximar dele, também conversou com o delegado federal na festa. “Foi um diálogo maravilhoso, emocionante mesmo”, diz Protógenes Queiroz, que sempre negou ter investigado a família do presidente da República. “Fizeram muita fofoca.” Na verdade, afirma, “o presidente estava sendo chantageado”.
“Ele [Fábio] me disse que o pai dele [Lula] me respeita muito e que a família me admira por tudo o que eu já fiz pelo Brasil. O filho do presidente é um perseguido, como eu. Responde a um processo [na Justiça]. Eu respondo a 15!”. Protógenes diz que deu seu telefone e e-mail para Fábio Luís, “para ajudá-lo no que for preciso”.

“Olha aqui o delegado que queria me prender!”, exclamou José Dirceu ao ser abordado pelo delegado Protógenes Queiroz no jantar de aniversário do ministro Orlando Silva, do Esporte, anteontem, em SP. Os dois gargalharam, apertaram as mãos e se juntaram num abraço aparentemente fraterno.Candidato a deputado federal pelo PC do B, o policial circulava na festa tentando se aproximar dos que outrora investigou na Operação Satiagraha, em 2008, cujo alvo principal era o banqueiro Daniel Dantas. A conversa com Dirceu (que teve sua mulher, Evanise, grampeada na devassa comandada por Protógenes) não durou muito tempo. “Me comportei bem?”, perguntou o petista depois que o delegado se afastou. Para espanto de muitos, entre uma garfada e outra de penne com tomate, disse: “Eu vou ajudar a elegê-lo”. O “perdão” para valer, no entanto, virá depois, “no dia em que ele [Protógenes] me contar tudo o que aconteceu”. Dirceu diz acreditar que foi investigado de forma ilegal e muito mais abrangente do que a divulgada oficialmente.Fábio Luís, o Lulinha, filho de Lula, que na época da Satiagraha surgiu no noticiário porque empresas de Dantas teriam tentado se aproximar dele, também conversou com o delegado federal na festa. “Foi um diálogo maravilhoso, emocionante mesmo”, diz Protógenes Queiroz, que sempre negou ter investigado a família do presidente da República. “Fizeram muita fofoca.” Na verdade, afirma, “o presidente estava sendo chantageado”.”Ele [Fábio] me disse que o pai dele [Lula] me respeita muito e que a família me admira por tudo o que eu já fiz pelo Brasil. O filho do presidente é um perseguido, como eu. Responde a um processo [na Justiça]. Eu respondo a 15!”. Protógenes diz que deu seu telefone e e-mail para Fábio Luís, “para ajudá-lo no que for preciso”.  Mônica Bergamo

Anúncios

3 Respostas to “e todos comem no mesmo prato”

  1. C Antonio said

    …E olha lá no fundo o Murad!!! Mas o que era mesmo isso? Confraternização do sheol?

    GrandAbraço

  2. Saramar said

    Stella, minha amiga, estes indivíduos formam a grande confraria dos aproveitadores do Brasil. Ainda que, aparentemente, combatam entre si, a realidade é que sempre se unem, “confraternizam”, como se viu neste artigo, todos culpados por usar cargos públicos para se aproveitar da pátria, para usufruir do poder em benefício próprio.
    São indivíduos execráveis que, estando investidos de poder público, defendem o particular. São vampiros que, tomando o sangue dos brasileiros, estão cada vez mais fortalecidos.

  3. Lord said

    offtopic
    Olá irmão de armas
    ELEIÇÕES 2010 – TSE, candidatos deverão apresentar certidão criminal, que será apresentada, no registro da candidatura. O documento será digitalizado e colocado à disposição do eleitor na página do TSE na Internet.
    Ainda de acordo com a resolução do TSE terá que ser apresentado também certidões de objeto e pé, com detalhes sobre o andamento de cada processo.
    Cara nova no congresso vai divulgar estas informações do TSE.
    Quando isto acontecer conto com a sua colaboração
    Eleja, não reeleja
    Vamos Limpar o congresso
    Espero que o TSE não esconda estas informações
    Lord
    caranovanocongresso@blogspot.com
    caranovanocongresso@sapo.pt

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: